"Todas as opiniões aqui expressas são da inteira responsabilidade do autor de cada postagem, não coincidindo, necessariamente, com as posições do órgão público cujos quadros o autor integra nem de qualquer órgão do governo brasileiro".

Os números de telefones das pessoas mais próximas estão em sua memória?

Os números de telefones das pessoas mais próximas estão em sua memória? E o que isso tem a ver com concursos e com o estudos em geral?
As pessoas mais jovens talvez não compreendam bem o que significa "decorar" números de telefone, pois já estão inseridas na era digital, no universo de redes sociais como o Facebook, Whatsapp, Twitter, Instagram, etc. A maioria das pessoas utiliza esses meios para se comunicar e, no caso do Whatsapp, uma vez salvo o número da pessoa, basta, simplesmente, procurar pelo nome ou clicar em alguma conversa iniciada ou arquivada e, pronto, a comunicação está estabelecida. 

Mas, se você estivesse em um local desconhecido e perdesse seu smartfone, ou alguém o tivesse furtado/roubado, você saberia, "de cabeça", os números das pessoas mais próximas para lhe ajudar? Muitos (me incluo) com certeza dirão que não! E isso é, necessariamente, ruim? Também acredito que não, pois, se na maior parte dos casos não será útil "decorar" esses números, não vejo essa situação como tão problemática. Na verdade, gosto de pensar em como extrair disso um aprendizado útil, principalmente, para os concursos públicos e estudos em geral.

Acredito que os números de telefones são exemplos da importância da repetição para memorização. Quando necessitávamos digitar o mesmo número, por diversas vezes, inevitavelmente decorávamos esse número. Decoramos, facilmente, nosso próprio número de telefone, nosso CEP, nosso CPF, RG, pois, constantemente, utilizamos essas informações em cadastros, formulários em geral, etc. Dessa forma, de tanto transcrever seus dados, nosso cérebro entende que aquelas informações são importantes e as reterá em nossa memória de longa duração. 

E o que isso tem a ver com concursos públicos e aprendizado em geral? Na minha opinião, tudo! 

Quando se trata dos estudos, tendemos a brigar e a exigir demais de nosso cérebro. Pensemos o seguinte: Na maioria dos casos sabemos que escutar, digitar ou ler, uma única vez, o número de telefone ou nome de uma pessoa, não nos levará a lembrar dessa informação, por exemplo, no dia seguinte, por isso anotamos o número ou nome dessa pessoa que acabamos de conhecer e que precisaremos conversar posteriormente.

Ora, se já temos essa noção, por dedução e prática, qual o motivo de "exigirmos" que nosso cérebro se recorde, facilmente, de uma informação que você leu em livro ou assistiu na aula? Temos que despertar para essa realidade. Você pode assistir uma excelente aula, entender tudo que o professor lhe ensinou, pode acabar de ler um capítulo de um livro técnico, compreendendo tudo que estudou, mas, quando se depara com uma questão do tema, por exemplo, em concurso público, você simplesmente "não se lembra" daquela informação e não consegue resolver a questão. O que ocorreu?

Provavelmente, você não revisou adequadamente aquele conteúdo, seu cérebro entendeu que aquela informação, por não ter se repetido em sua vida, não era uma informação valiosa e que ele poderia "esquecê-la" e colocar outras coisas em seu lugar. Muitas vezes não nos damos conta dessa situação pois, na escola, na faculdade, nos cursinhos, costumamos "testar" nossos conhecimentos logo após, ou muito próximo, do tempo em que aprendemos aquele conteúdo, por isso você se recorda do mesmo. Porém quando se vê obrigado a "testar" esse mesmo conhecimento depois de meses ou anos, percebe que não se recorda mais, com precisão, daquele conteúdo.

Qual a solução?

Por tudo que tenho lido sobre o assunto e o que tenho testado, na prática, não existe outra forma de reter um conteúdo, no longo prazo, que não seja pela revisão/repetição. Ou aplicamos métodos de revisão eficientes, com resumos, mapas mentais, resolução de questões ou aplicamos a técnica da repetição ,estudando várias vezes, de forma espaçada, o mesmo assunto. Do contrário, acredito que as chances de não retermos o conteúdo que estudamos é, simplesmente, enorme, quase uma certeza.

Espero que tenha ajudado a compreender um pouco melhor a importância da revisão / repetição nos estudos! Um grande abraço e até a próxima!

"Todas as opiniões aqui expressas são da inteira responsabilidade do autor de cada postagem, não coincidindo, necessariamente, com as posições do órgão público cujos quadros o autor integra nem de qualquer órgão do governo brasileiro".

Postagens mais visitadas deste blog

Anki para Concursos e Faculdade?

Como prefiro estudar livros muito longos?

Efeito Dunning-Kruger nos Concursos e na Pandemia do novo Coronavírus