Imagem de Clker-Free-Vector-Images por Pixabay


*Atenção! O texto a seguir é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência!

NerdSilva, após ter assistido, entediado, a pergunta de Chatonildo e a explicação do Professor Mévio sobre o papel do povo Hebreu no "Marco Inicial do Constitucionalismo", resolveu, antes mesmo de dar a chance do professor explicar, pedir a palavra e tagarelar que a Grécia antiga contribuiu muito com a história do constitucionalismo, por meio de sua democracia constitucional, e que a primeira experiência constitucional associada à ideia de liberdade se deu no direito romano.

O professor Mévio agradeceu a contribuição, mas, em pensamento, queria dizer o seguinte: "Não quer vir aqui na frente e dar aula em meu lugar"?

Professor Mévio então passou a explicar que as Constituições teriam origem na Carta Magna de 1215 da Inglaterra, a Carta de João Sem-Terra, pois este foi o primeiro documento pactuado entre o soberano e seus súditos, onde, então, o monarca  abriu mão de parcela do seu poder absoluto em favor de seus súditos. (Na verdade o rei foi derrotado e estava falido, precisava de subsídios de seus barões, por isso cedeu ao acordo).

NerdSilva interrompeu, novamente, o Professor e, antes mesmo de receber sinal verde para falar ou de deixar o Professor completar a explicação da matéria, tagarelou que a Carta Magna de 1215 não era uma Constituição concreta, propriamente dita, pois faltavam muitos elementos para tal, mas certamente já era um avanço para a época.

Professor Mévio concordou e novamente agradeceu a contribuição, mas, sua voz interior continuava a dizer: "Não quer vir aqui na frente e dar aula em meu lugar"?