Olá pessoal, tudo bem?

Estou de volta para dar continuidade ao assunto abordado nas postagens anteriores, quais sejam, "Quer cursar Direito em Universidade particular e tem dúvidas sobre qual escolher? Pretende fazer concursos públicos? Então, esse texto é para você" e Direito na Uninove é bom?, onde abordei o tema, delicado, que é escolher a faculdade particular de direito, caso prestar concursos públicos seja seu objetivo ao fim da graduação!

Em síntese, o que pretendi passar nas últimas postagens é que, para você concurseiro, não importa o "peso", a "fama" de seu diploma, como na iniciativa privada, mas sim, se a faculdade pode lhe acrescentar algo em sua trajetória no mundo dos concursos e, PRINCIPALMENTE, se ela não irá ATRAPALHAR!!! Também comentei um pouco sobre a estrutura da Uninove, pois é nesta Universidade que fiquei a maior parte da minha graduação e, provavelmente, a que irei terminar, haja vista que, no momento, terminei o 8° semestre.

Agora, você pode estar se perguntando, como a faculdade poderá me atrapalhar? Explicarei melhor abaixo, porém, já gostaria de deixar claro algumas coisas...

Primeiro, não sou uma pessoa "antiacadêmica", acredito - e muito -, que só a educação pode levar um país ao avanço em todas as áreas e que, o contrário, ou seja, a ausência de educação, só traz retrocessos.

Portanto, o ponto aqui abordado será outro, não um "ataque" às universidades, mas sim, uma tentativa de auxílio na escolha da Universidade que melhor servirá aos seus propósitos de aprovação em um concurso público.

Além disso, é bom que fique claro, concursos públicos não são o objetivo principal do aprendizado na Universidade, ou seja, não espere que a faculdade lhe proporcione a melhor preparação para um concurso público, pois, simplesmente, esse não é o objetivo da graduação!

Agora, ao meu ver, principalmente pessoas que iniciaram "tardiamente" a graduação ou trocaram de profissão, e pretendam cursar direito para prestar concursos públicos, não acho prudente deixar para pensar em estudar para tais concursos, somente, após a graduação. Isso não é, apenas, uma observação pessoal, sempre acompanhei professores e profissionais concursados que falaram muito sobre isso. 

Existem outras frases com sentidos semelhantes, mas, vou mencionar a de um profissional que admiro na área da psiquiatria que se encaixa muito bem para entender o motivo da preocupação supracitada:

"Uma pessoa inteligente aprende com os seus erros, uma pessoa sábia aprende com os erros dos outros" - Augusto Cury

Gosto também dessa:

"Aprenda com os erros dos outros. Você não consegue viver tempo suficiente para cometer todos por si mesmo" - Desconhecido

Assim, acredito que ouvir pessoas que já vivenciaram a trajetória que pretendemos percorrer, é, além de prudente, uma forma inteligente de planejar seu futuro. 

Agora, finalmente, indo ao ponto da postagem. Como poderei saber se determinada faculdade irá me atrapalhar na trajetória para os concursos públicos?

Sinceramente, após ter cursado 04 dos 05 anos previstos para conclusão do curso de Bacharelado em Direito, em três universidades distintas, além do que inferi dos conselhos que já li e ouvi sobre o assunto, acredito que a principal métrica para saber se a faculdade "atrapalhará", ou não, seus estudos seja o "método de avaliação da faculdade".

Isso mesmo, a forma como a faculdade te avalia irá impactar, diretamente, no tempo que você terá para se dedicar aos concursos públicos.

Para exemplificar, gostaria de mencionar as experiências que tive na Uninove, Estácio - Campus Conceição e Universidade Brasil - Campus FASP - Centro Histórico.

Na Uninove, as avaliações são bem delineadas pela instituição, em "tempos normais", você tem uma prova objetiva, uma prova dissertativa para cada disciplina e mais uma prova objetiva ao fim do semestre, que engloba todas as disciplinas. 

Minha experiência com a Uninove, nesse ponto, foi extremamente positiva, pois, caso o aluno acompanhe, regularmente, às aulas ou, ao menos, estude o que o professor lecionou em sala, as chances de aprovação são muito altas, sem muito trauma. Ou seja, você conseguirá se planejar para estudar para as provas e, ainda, conseguirá dedicar algum tempo de sua rotina para os concursos públicos.

Agora, esse planejamento só será possível se as avaliações forem, previamente, definidas pela instituição, pois, caso a Universidade dê muita discricionariedade para o professor, aí teremos um problema.

Vou exemplificar o problema acima com minha experiência na Universidade Brasil, campus FASP, localizada no centro histórico de São Paulo. Depois do ocorrido, eu e minha esposa não ficamos nem mais uma semana na instituição....

Imagine uma instituição em quem, dos 10 pontos necessários para aprovação em cada discplina, 07 eram de uma única atividade definida pelo professor, na data também definida pelo professor. 

Agora, imagine a Universidade retornando às aulas, na semana do carnaval, e você resolve "emendar" a quarta, quinta e sexta, deixando só para retornar na segunda, seja porque estava viajando com a família, seja porque resolveu tirar a semana para estudar para seu concurso, seja porque, simplesmente, decidiu usufruir das faltas a quem direito no semestre, e escolheu fazer isso na semana do carnaval, pois não havia nada planejado na Universidade.

Agora, imagine a surpresa ao tomarmos conhecimento que o professor de quinta-feira, ao se deparar com poucos alunos na "quinta de carnaval", resolveu definir a principal atividade (que valia 07 pontos) para a próxima semana, mas, determinar que só poderiam fazê-la os alunos que compareceram na semana de carnaval.

Bem, quem concorda com esse tipo de atitude, ao meu ver, tem uma "tara" por autoritarismo, isso não é disciplina, isso é subjugar os alunos aos seus delírios de autoridade, pois, submeter a aprovação do aluno a uma atividade surpresa é, no mínimo, surreal e beira a má-fé para forçar reprovações. 

Procurei a Coordenação, mas, nada foi feito e fui informado que o professor tinha essa autonomia na instituição.

Então, diante do problema, notando que as avaliações eram extremamente discricionárias, saí da Universidade Brasil (FASP - Centro Histórico) e fui para a Estácio - Campus Conceição, porém, outros problemas surgiram.

Contudo, os problemas da Estácio, que atrapalham o planejamento pessoal para concursos, vão além das avaliações, mas, para não alongar ainda mais esta postagem, deixarei para a próxima.

Grande abraço e até lá!
Concurseiro, cuidado com a faculdade de Direito que irá escolher, ela pode te atrapalhar!
Imagem de PublicDomainPictures por Pixabay