A principal dica para aprovação no Exame de Ordem!!

Olá pessoal, tudo bem?

Primeiramente, gostaria de me desculpar pela quase ausência de postagens. A verdade é que está faltando tempo para escrever por aqui, por conta de obrigações familiares, acadêmicas e profissionais!

Agora, indo direto ao ponto. Alguns colegas de faculdade me pediram dicas sobre o exame de ordem, assim, além desta postagem, postarei alguns textos a respeito da prova, na medida do possível, para, quem sabe, auxiliar sua trajetória rumo à aprovação!

Porém, antes de postar algo, especificamente, sobre a técnica do exame, gostaria de tecer alguns comentários sobre, ao meu ver, a principal barreira entre o candidato e o Exame de Ordem! Aliás, não só para o Exame de Ordem, mas, para qualquer prova de aferição de conhecimentos! Noto isso por experiência própria e por analisar comentários dos aprovados e reprovados em exames e concursos! 

Mas, afinal, qual é essa barreira?

ANSIEDADE!!!!!!

Sim, meus amigos e amigas, ANSIEDADE!

Se eu fosse aconselhar alguém sobre o primeiro passo para aprovação em um concurso ou exame, primeiro, perguntaria para essa pessoa como está o psicológico da mesma para os estudos e para a realização das provas!

Claro, não sou profissional da área, apenas leio, como leigo, sobre o assunto! Então, se estiver passando por esse problema, busque ajuda profissional! Mas, ATENÇÃO, estou falando de ajuda PROFISSIONAL, não de coaches sem qualquer formação acadêmica na área!

E por qual motivo "escolhi" a ansiedade como a principal barreira para aprovação no Exame de Ordem?

Pessoal, quem se inscreveu no Exame de Ordem está, no mínimo, no 9° semestre do Curso de Direito. Além disso, temos muitos candidatos formados. Ou seja, se a pessoa estudou regularmente durante sua formação acadêmica, ao meu ver, já está preparada para passar, pelo menos, na primeira fase do Exame de Ordem.

Já a segunda fase dependerá de alguns fatores, como experiência na área específica escolhida, por conta de algum estágio ou emprego, por exemplo.

Para passar na primeira fase do Exame você não precisa acertar as 80 questões, você precisa acertar 40. Assim, unindo seus conhecimentos adquiridos durante o curso com algum estudo de reforço nas matérias que mais contêm questões no Exame, como, por exemplo, Ética e Constitucional, certamente você está muito próximo(a) da aprovação!

Agora, o que notei, ao longo da minha trajetória acadêmica e profissional, é que a maioria das pessoas não estudam corretamente na faculdade, bem como para exames e concursos, principalmente, por conta de alguma dificuldade mental ou emocional.

Pensamentos como "não vou conseguir"; "o exame é muito difícil"; "não sou capaz" e por aí vai, simplesmente, bloqueiam a capacidade das pessoas de estudar ou de realizar uma prova!

Conheço algumas pessoas que estudam muito bem em casa e na faculdade, tiram excelentes notas em simulados, mas, na hora de uma prova, simplesmente, "esquecem" o que estudaram e não conseguem aprovação!

Só que, na verdade, a pessoa não esqueceu, ela, geralmente, não conseguiu recordar, no momento da prova, daquele conteúdo estudado. Inclusive, muitas relatam que, ao chegar em casa, lembraram da resposta que seria a correta na questão.

Ou seja, muitas vezes, o problema não foi a falta de conhecimento, mas, um bloqueio mental causado, provavelmente, pela lazarenta da ANSIEDADE!

Para exemplificar melhor o assunto, gostaria de mencionar alguns trechos de uma pesquisa da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

"As dificuldades relativas a relacionamentos (familiar, social/interpessoal e amorosas/conjugais) interferem na vida acadêmica dos graduandos em percentuais significativos. (...) Na Tabela 9.4, que lista as dificuldades emocionais, a ansiedade foi a mais assinalada em âmbito nacional - 58,36% do total de graduandos marcaram este item. (...) Em todas as regiões verifica-se que a dificuldade emocional com maior participação relativa é a ansiedade – Centro-Oeste (60,51%), Nordeste (55,78%), Norte (44,66%), Sudeste (64,4%) e Sul (60,76%). Em segundo lugar, foi assinalada “desânimo/falta de vontade de fazer as coisas”, em percentuais que variaram de 37% a 49% nas regiões. Em seguida, “insônia ou alterações significativas de sono” foi a terceira dificuldade emocional mais marcada em todas as regiões, com percentuais entre 27% e 35%. As outras duas dificuldades com maiores participações relativas foram “sensação de desamparo/desespero/desesperança” e “sentimento de solidão”, com variações percentuais entre 17% e 24% nas regiões".

Ou seja, nota-se que a ansiedade é um problema generalizado e, assim, claro que tal problema interferirá na vida pessoal, acadêmica e profissional dessas pessoas!

Desta forma, ao meu ver, a primeira pergunta que um candidato ao Exame de Ordem deve fazer para si é: Como está minha saúde mental para estudar e para realizar a prova?

Se a resposta indicar alguma dificuldade significativa nesse sentido, procure ajuda, procure sanar esse problema que é muito (MUITOOOO) mais importante que qualquer prova!

Se a resposta indicar que está preparado(a) para mergulhar nos estudos e na realização das provas, aí sim, procure estudar da melhor forma possível para a realização do exame.

Em breve postarei algumas dicas de estudo para a prova da primeira e da segunda fase do Exame de Ordem!

Até lá e grande abraço!